Páginas

quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Carta Aberta ao Presidente da República

Assunto: Sobre o Regicidio.

Exmo. Sr. Presidente da República
Prof. Dr. Cavaco Silva

Peço a sua compreensão para a esta missiva que lhe envio. Mas acredito que seja o destinatário certo.
Recentemente fez umas jornadas muito importantes sobre o Património, tendo visitado o túmulo do Primeiro Rei de Portugal, D. Afonso Henriques. Analisou e ouviu atentamente informação sobre o que tem sido feito para conhecer o nosso primeiro Rei.
O Presidente é o garante das instituições, e tem como função fundamental representar o País uno e integral, com o seu passado, presente e futuro.
O Senhor Presidente da República é também o Chefe de Estado Supremo das Forças Armadas e por essa razão afloro os factos abaixo.

Como é do seu conhecimento público, a Fundação D. Manuel II irá realizar no próximo dia 1 de Fevereiro uma cerimónia pública de evocação do Regicidio de 1908, que provocou a morte do Rei de Portugal, D. Carlos e do seu filho, D. Luis Filipe. D. Carlos foi chefe de Estado, e independentemente do regime em questão, foi Rei, logo, com um estatuto de defesa do país, respeitando uma Constituição.

Nessa cerimónia pública, estavam convidados a Fanfarra do Exército e do Regimento de Lanceiros até ao momento em que o Ministro da Defesa, desrespeitando o sentido de Estado que o devia guiar e o respeito por um ex-chefe de Estado como foi o Rei D. Carlos proibiu essa participação, como pode verificar pela noticia do SOl, disponível neste link. http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Politica/Interior.aspx?content_id=78185

Esta atitude deveria ter de si o máximo repúdio pelo insulto público, pela falta de dignidade e pela atitude mesquinha do senhor Ministro da Defesa para com cidadãos que nada mais pretendem do que demonstrar o seu orgulho por um chefe de Estado ASSASSINADO nas suas funções.

O senhor Ministro da Defesa envergonhou o Pais e sendo o Senhor o Chefe de Estado Supremo das Forças Armadas devia por cobro a esta atitude pedindo a demissão do senhor Ministro da Defesa.

Tenho a si a maior consideração, como chefe de Estado e como político. E entendo que as instituições soberanas, como o Governo e a Presidência, devem ter como máximo basilador o Respeito pelo País, pelo seu passado, presente e futuro. Quando um grupo de cidadãos faz uma homenagem que deveria ser da responsabilidade do Estado, esse mesmo Estado deve no minímo respeitar-se a si próprio.

Caro Presidente da República, se tudo continuar na mesma, como quer que um conjunto de cidadãos encara as comemorações do Centenário da República? Como uma manifestação legítima ou as actividades de um grupo de clandestinos como o dinheiro do cidadão?

Com os melhores cumprimentos
João Manuel Oliveira

3 comentários:

  1. Armando, O Rei das Farturas31 de janeiro de 2008 às 10:26:00 WET

    Apoiado! Sempre ao lado dos colegas!

    ResponderEliminar
  2. Excelente!
    Embora como atraso nosso publicada em
    http://www.somosportugueses.com/modules/news/article.php?storyid=373

    webmaster@somosportugueses.com

    ResponderEliminar
  3. Nunca peças nada a republicanos, nunca!!

    VIVA O REI!

    ResponderEliminar

O Notas de Aveiro não é responsável pelos comentários aqui escritos e assumidos pelos seus autores e a sua publicação não significa que concordemos com as opiniões emitidas. No entanto, como entendemos que somos de alguma forma responsáveis pelo que é escrito de forma anónima não temos pejo em apagar comentários...

Por isso se está a pensar injuriar ou difamar pessoas ou grupos e se refugia no anonimato... não se dê ao trabalho.

Não sabemos se vamos impedir a publicação de anónimos. É provável que o façamos. Por isso se desejar continuar a ver os seus comentários publicados, use um pseudónimo através do Blogger/Google e de-se a conhecer para notasaveiro@gmail.com.

João Oliveira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...